segunda-feira, 5 de julho de 2010

Momento de ir

Eu sempre me perguntei o que me levava a agir e ficar nos lugares ou com as pessoas.
A resposta sempre era um misto de auto-comiseração e um sentimento de dívida.
Dívida para com o outro como se pelo fato de respirar o mesmo ar que o outro eu devesse algo; de alguma forma. Não sei de fato quando isso começou, mas isso sempre me trouxe uma melancolia abstrata que eu não buscava investigar.
De fato eu acredito que eu tenho minhas ações pautadas naquilo em que acredito e nem tudo em que eu acredito é de fato o melhor ou a opção mais acertada, mas tento não me fechar em uma crença completa e sim em idéias e sonhos que possam ser flexibilizados para uma realidade diferente.

Sou apenas uma pessoa e esse desabafo é só para dizer que hoje eu acordei sorrindo e eu sabia o por que.

Quando a pergunta sobre o motivo de permanecer em determinado lugar é feita constantemente, talvez seja por ser chegado o momento de ir.