quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

Brinquedinho

"Eu não quero ser um Lego!"

Não faço idéia

Hoje, véspera do outro ano.
Não faço idéia do que escrever, mas preciso, sinto esta necessidade.

Me pergunto se este blog será um fracasso? Não obtenho respostas e continuo a me questionar, afinal quem não é fracassado, neste recém-novo-passado com cenas que chocam.

Não tem o objetivo de ser uma denúncia para a humanidade e nem tem grandes aspirações.
Talvez seja apenas memórias de um "não" que deixou de ser dito.

Enquanto penso, percebo que preciso de espumante, mas o mercado está fechado, motivo de eu detestar final de ano. Assim, tenho no café esta cachaça. Quanta besteira; penso. Mas, se posso me expressar: que vida que céu?!... Logo, alguns estrondos dos fogos de artifícios rompem o silêncio e ao longe uma mulher grita para cristo alguma coisa indecifrável.

Enquanto escrevo sem ter idéia, só por escrever converso comigo: talvez eu seja apenas um amigo imaginário de mim mesma. Ele lendo Drummond e eu digito tudo aquilo que penso nessa mistura infinita que somos nós dois. Consequentemente uma piadinha sarcástica cospe um "que poético", lá longe a mulher grita um aleluia e eu peço no meu íntimo que ela cale a boca.

Os desejos para 2009 são muitos. Na falta de espumante, "Ades"; adeus.

Motivo do blog

Um blog humano surge pela necessidade de me expressar.

Na virada do ano de 2008 para 2009 decidi deixar meus pensamentos registrados na rede a fim de que quem quisesse pudesse me conhecer. Além de que depois de algum tempo eu mesma pudesse me reconhecer e me reencontrar nas postagens, percebendo na leitura as mudanças que acontecem comigo.

Assim, ele surgiu pela mudança de ano, de ares e da necessidade de me reinventar.
Este blog é um misto de pensamentos e experiências.
Quando foi criado, teve os primeiros posts elaborados na presença de Flavio Max, amigo de infância querido.

Espero que o Um blog humano constitua uma ferramenta interessante que não permita que eu me torne mecânica nesta sociedade automatizada.