sábado, 15 de abril de 2017

Meio que me fio

(meio um jeito de dizer)
Escrevi um roteiro há algum tempo e o que sinto sobre ele segue abaixo:

Meio-fio

Coágulo urbano regurgita pesado.
Nutrido preâmbulo vencido.
Esgotado portal goteja coceiras,
sussurra e
percebe no rasgo aquele "se" inventado,
Que em alguém até.

Insiste.
Hoje - privilégio.
Solidários transbordam alheios absurdos.
Possível que a
Maré de tão inventada
Seja preciso navegar.

Enquanto permanente parece
atrofiado
Exibe encanto ordinário
perpetua
e por hábito se consome.

quarta-feira, 5 de abril de 2017

Dois anos sem o Bugo

Querida mãezinha (Bugo),

Não foi o ontem. Essa fantasia infalível.
As vezes momentaneamente eu pergunto
e responde a casa em silêncio.

Já fazia tempo que você não sorria.
Você que me fez dar mais de mil voltas em um
brinquedo chato, quando fomos ao parque.

Delirante certeza com a qual me convenço
de que por alguns instantes, naquele dia, você foi feliz.
Sinto saudades.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

Pudor celeste

I

Enigma que amanhece
Veredicto a percorrer com dedos
o gole desfiado

Madeiras crescem como árvores
Lápis ousa e repete aquilo que
de inventado serve

Julga ou encena no
Vazio da boca entorpecida.
Unge em tons
refuta e cresce.


II

Vapor acre solve
o corpo em cruz de nylon

Exuberante combate

Fôlego
Asilo que brilha e rói

Cinzas de giz pedestal
no roto ponteiro afia enquanto
lambem a cor tormenta noite.

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

Blabla bla

as vezes me faltam palavras
as vezes nem as reconheço
pode chamar do que quiser
pode encontrar os sintomas
e conceituar as minhas limitações

as vezes as palavras são insuficientes para descrever o que sinto
talvez esteja em mim essa insuficiência que inocente as palavras

mas, o glossário
o glossário que reúne as palavras
os diálogos que utilizam as palavras
as descrições... todas as palavras
e até aquelas inventadas
formam um conjunto de legendas

impressões traduzidas para fonemas disponíveis

gostaria de dizer de outra forma
de transbordar para o outro 

talvez, transbordar seja, de fato, a palavra que mais me faz falta.

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

Rasura de ser vivo

Cansou de fingir
ou de fugir.

Ansioso e hepático
o moribundo arrasta seus dejetos
por entre a turba exultada.
Tanto faz quantos dias lhe restam
tanto faz o que lhe agrada.

Ele transita por entre os ruídos da cidade
apenas 
prossegue esgotando-se.
Parece que carrega o mundo
em caixas empilhadas
e formulários.